Arquivo de Maio, 2009

Arena vence a Palma de Ouro em Cannes

O filme de João Salaviza “Arena” ganhou  o grande prémio do festival de Cannes na categoria de curtas-metragens, a Palma de Ouro.

Arena” conta a história de Mauro, “um rapaz que está a cumprir uma pena em prisão domiciliária e que enfrenta o dilema de transgredir a lei para acertar contas com um grupo de miúdos marginais”. É um filme sobre violência urbana e juvenil, sobre bairros problemáticos que são verdadeiras “bombas-relógio”.

Vencedores dos Globos de Ouro 2009

Globos de Ouro 2009

Os nomeados para as seguintes categorias eram:

Melhor Filme:
Amália, O Filme”, de Carlos Coelho da Silva
Aquele Querido Mês de Agosto”, de Miguel Gomes – Vencedor
Entre os Dedos”, de Tiago Guedes e Frederico Serra
Mal Nascida”, de João Canijo

Melhor Actriz:

O Último Condenado à Morte

O Último Condenado à Morte, um filme de Francisco Manso

“O Último Condenado à Morte” – Estreia Nacional dia 28 de Maio de 2009

Sinopse:
O filme vai percorrer a história do protagonista num dos períodos mais conturbados da história portuguesa – a primeira metade do século XIX. A guerra civil, entre absolutistas e liberais e as lutas subsequentes explicam o percurso atribulado de Matos Lobo (Ivo Canelas). A família, conservadora e miguelista, sofre as consequências da derrota. Os conflitos com o pai, o seminário e o seu temperamento romântico exacerbado moldam-lhe a psique. Mas é a paixão inconclusiva pela bela Adelaide (Maria João Bastos) que despoleta a tragédia, mais ainda quando ela ostenta um comportamento liberal, ao arrepio dos costumes lusos. Manter-se-á, até ao fim, a hipótese de Matos Lobo estar inocente.

Amor em Jogo / Star Crossed

Amor em Jogo / Star Crossed, um filme de Mark Heller

“Amor em Jogo” – Estreia Nacional prevista para dia 04 de Junho de 2009

Sinopse:
“Amor em Jogo / Star Crossed” é uma adaptação moderna de “Romeu e Julieta”, que conta a história da rivalidade ficcional entre dois dos mais proeminentes clubes de futebol de Portugal, Invicta e Castelo, e do mútuo desdém vivido por ambas as equipas, que há muito ultrapassou as quatro linhas.
Quando o jovem jogador do Castelo Paul Collins (Kyle Redmond-Jones) se infiltra numa festa do Invicta, ele conhece Inês (Teresa Tavares), a filha do presidente do Invicta. É amor à primeira vista. No entanto, a rivalidade entre as duas equipas implica que, se a relação amorosa for descoberta, as suas vidas podem estar em perigo.

As Memórias que Nunca se Apagam

As Memórias que Nunca se Apagam, um filme de Dinarte Freitas e Eduardo Costa

“As Memórias que Nunca se Apagam” está integrada na Short Film Corner do Festival de Cannes.

Sinopse:
Madeira, São Jorge – 1936. João um jovem, agricultor, apaixona-se por Maria uma bela rapariga. Decidem fugir para casar e refugiam-se na gruta do Pico Ruivo. São descobertos por António, pai de Maria que os impede de ficar juntos.

Vencedores do Indie Lisboa

Os filmes portugueses premiados no IndieLisboa 2009

bannerindielisboa

Prémio TOBIS para Melhor Longa-Metragem Portuguesa –Ruínas”, de Manuel Mozos

Prémio para Melhor Curta-Metragem Portuguesa –Arena”, de João Salaviza

Prémio RESTART para Melhor Realizador Português de Curta-Metragem –Pássaros”, de Filipe Abranches

Prémio Novo Talento FNAC – “Visionary Iraq”, de Gabriel Abrantes

Prémio de Melhor Imagem para Curta-Metragem Portuguesa AIP – Paulo Menezes por “Alaska”

FICA 09 – Festival Internacional de Cinema do Algarve

Arranca hoje o mais antigo festival de cinema de Portugal, o FICA – Festival Internacional de Cinema do Algarve, que nasceu em 1971. Ao todo serão apresentados 62 filmes de 25 países.

Na secção competitiva de curtas-metragens estão 12 curtas portuguesas, o que faz de Portugal o segundo país com mais filmes na competição, logo a seguir a Espanha, com 17 filmes.

O Fica 2009 vai decorrer até 10 de Maio nos Cinemas Castello Lopes de Portimão, em sessões diárias com início às 21:00 horas.

Curtas-metragens portuguesas seleccionadas:

Águas Mil

Águas Mil, um filme de Ivo Ferreira

Sinopse:
Pedro (Gonçalo Waddington) é um jovem encenador cheio de dúvidas sobre a peça de teatro político que tem nas mãos e a atravessar uma crise pessoal. Para além do questionamento do radicalismo revolucionário que essa peça coloca e que interpela directamente o seu próprio passado familiar, Pedro mostra-se também confuso com as novas responsabilidades e expectativas decorrentes da gravidez da namorada (Joana Seixas). A encenação parece indefinidamente bloqueada até que Pedro faz uma descoberta em casa da avó, que poderá explicar o desaparecimento do seu pai logo após a Revolução dos Cravos. Na caravana em que a família o costumava levar para férias em miúdo, Pedro encontra dois revólveres e vários documentos que lançam uma nova luz sobre tudo o que lhe tinham dito sobre a misteriosa figura do pai. Parte à procura de respostas, deixando todas as responsabilidades imediatas para trás.

Página 1 de 212