Categoria: Área Profissional

Campanha de crowdfunding para novo projecto de Luís Campos “Squatter Man”

Squatter Man, um filme de Luís Campos

Luís Campos, argumentista do filme Um Funeral à Chuva, criou uma campanha de crowdfunding para o seu novo projecto: a longa-metragem Squatter Man.

Este projecto será o primeiro filme produzido pela Squatter Factory – sonho de vida de Luís Campos (principal produtor e realizador do filme). Squatter Man será produzido sem qualquer financiamento ou apoio. Toda a equipa envolvida participarão como voluntários e algum apoio logístico será fornecido através de instituições locais e empresas parceiras.

Sinopse: Carlos, após uma longa ausência, regressa à sua vila natal. Debatendo-se com dificuldades de readaptação à escassez de ofertas culturais, decide ocupar um local abandonado. Inesperadamente, uma guerra mitológica está prestes a começar.SQUATTER MAN

A rodagem ocorrerá em Setembro de 2014 e o filme será lançado em 2015. As imagens e o teaser mostrados nesta campanha correspondem à sequência inicial do filme, que o realizador já conseguiu filmar no Verão de 2012 com a ajuda de amigos, com o apoio logístico da Universidade da Beira Interior, da Ovelha Elétrica e da Companhia de Teatro Viv’Arte e muito graças às poupanças pessoais do trabalho num call-center de Amesterdão.

Squatter Man será uma longa-metragem tornada possível pela paixão e compromisso de todos os intervenientes, com um mero custo/orçamento de curta-metragem.

A vossa ajuda fará este sonho tornar-se uma realidade.

Link da campanha: Edit: campanha expirada

Link da página no Facebook: www.facebook.com/squattermanfilm

Prémio Mérito para FilmesPortugueses.com

YouTube Preview Image

1º Gala CinEuphoria 2012 – Prémio Mérito para o site Filmes Portugueses

O site Filmes Portugueses foi distinguido com o Prémio Mérito, nos Prémios CinEuphoria 2012, atribuído pelo site CinEuphoria, de Paulo Peralta. O prémio foi oficializado em Janeiro de 2012 e pode ser visto neste link.

Pela primeira vez, realizou-se uma gala para entrega dos prémios. O evento decorreu no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, no dia 14 de Março de 2012, organizado por CinEuphoria, em pareceria com Portugal Fantástico, de António Castro. Podem ver o vídeo completo, da entrega dos prémios, aqui.

Partilho também o artigo “CinEuphoria Prémios 2012: balanço final“, onde Paulo Peralta faz o balanço final dos prémios atribuídos ao Cinema Português, onde o grande vencedor foi o filme “O Barão“, de Edgar Pêra, distinguido com 15 prémios. E onde, mais uma vez, referencia o FilmesPortugueses.com:

…Em primeiro lugar o site Filmes Portugueses que dá uma especial importância ao cinema feito em português com a divulgação não só de trabalhos já idos como também das próximas estreias, com rigor e qualidade…”.

É com muito orgulho que vejo o Filmes Portugueses ser reconhecido! Obrigado Paulo Peralta, pela distinção, e obrigado António Castro, pela ideia da gala.

CineGuia Portugal

A partir deste mês de Abril, o Filmes Portugueses e o CineGuia Portugal, fazem parceria em prol do Cinema Português.

O CineGuia Portugal, que tem como editor Tony Costa, é um directório para empresas e profissionais do sector do cinema, televisão e publicidade. Foi criado em 1999 por iniciativa da Associação de Imagem Portuguesa.

O CineGuia é publicado online através do seu site www.cineguiaportugal.com e também é publicado em papel, formato bolso de dois em dois anos. Visitem também a página no Facebook.

Take Two – Festival de Curtas Metragens

YouTube Preview Image

EDIT: O Take Two – Festival de Curtas Metragens foi cancelado, devido ao reduzido número de inscrições.

Pelo segundo ano consecutivo, o Departamento Cultural da Associação de Estudantes da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (AEFEUP) está a realizar um Festival de Curtas-Metragens – Take Two. A este festival está associado um concurso, que visa a participação de estudantes que frequentem qualquer instituição de ensino superior sediada no Porto.

O Festival terá lugar na Galeria da Embaixada Lomográfica do Porto, na Rua do Almada, nº542, a 5 minutos da estação de metro da Trindade, nos dias 11 e 12 de Maio.

Este festival poderá ser a oportunidade de revelação ou manifestação de talentos desassossegados que poderão despontar o gosto pela cultura no seio académico.

O júri oficial do evento será composto por personalidades convidadas pela equipa de organização do festival, sendo também o responsável pela selecção dos vencedores:

  • Pedro Serrazina: Premiado em ’96, em Cannes, pela sua curta-metragem de animação “Estória do Gato e da Lua”, desde então foi distinguido com mais 15 prémios.
  • André Badalo: Venceu recentemente o prémio para melhor curta-metragem com “Shoot Me”, no festival de cinema independente de Milão.
  • João Machado Vaz: Guitarrista da banda portuguesa “Os Azeitonas” e professor auxiliar na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Claro está que, sendo este Festival de Curtas-Metragens também um Concurso de Curtas-Metragens, haverá prémios. A organização irá atribuir prémios ao 1º classificado e duas menções-honrosas. Como primeiro prémio a organização irá atribuir uma Câmara Reflex Digital Canon EOS 500D + EF-S 18-55 mm IS + Estojo + SD 4GB + Livro e ainda um kit “A Vida É Bela – Surpresas Aventura”. As menções-honrosas, vencem um kit “A Vida É Bela – Surpresas Aventura”, cada.

Para fazerem o download do regulamento e ficha de inscrição visitem www.aefeup.pt. Concorram!

Paradoxon Produções – Produtora de Cinema Independente

A Paradoxon Produções surgiu no Algarve, em Lagos, no ano de 1997.

Um conjunto de jovens entusiastas pelo cinema decidiram formar esta pequena produtora independente com o intuito de produzir e realizar curtas-metragens.

Paradoxon Produções

A concepção deste projecto teve como seu principal impulsionador, o então jovem Hernâni Duarte Maria que propôs a todos a elaboração de um projecto de cinema para o Algarve, com o objectivo principal: a realização de curtas-metragens. E sobretudo a implementação de uma pequena produtora de cinema numa região onde esta área era praticamente inexistente e que ainda hoje persiste. É rara a divulgação de jovens cineastas na região, onde impera o turismo e pouco mais.

Inicialmente o projecto decorreu de uma forma amadora, com a realização de pequenos filmes experimentais onde se verificava as potencialidades de cada um e a pouco e pouco foram desenvolvendo uma mais apurada técnica de filmar e de composição estética dentro da Paradoxon Produções.

Os primeiros filmes foram realizados em 1997, e durante um período de 3 anos desenvolveram objectos fílmicos de experimentação, tanto de imagem como de som.

Hernâni Duarte Maria

No ano de 2000 surge o primeiro filme a sério, “Dissimulados“, concebido para a semana Maio Jovem realizada em Faro pelo Instituto Português da Juventude onde o tema a abordar era a sexualidade na juventude. Ao realizar este pequeno filme sob uma temática pedagógica a Paradoxon Produções consegue obter o seu primeiro prémio neste concurso local de curtas-metragens. Foi a primeira realização a sério de Hernâni Duarte Maria.

A partir desta altura a Paradoxon Produções é reestruturada, saem elementos que pertenciam inicialmente ao projecto e entram novos elementos. Entra Pedro Noel da Luz como operador de imagem e director de fotografia, membro que se manteve até 2009.

De 2000 até hoje muita coisa mudou na Paradoxon Produções, ao longo destes anos realizaram-se e produziram-se várias curtas-metragens, todas elas seleccionadas para vários festivais de vídeo e cinema em Portugal e no Estrangeiro.

Manifesto pelo Cinema Português!

Cinema Português!

Está a correr na Internet uma petição – Manifesto pelo Cinema Português – dirigido à Ministra da Cultura.

Pelo bem do Cinema Português todos devemos assinar. Independentemente se gostam ou não, faz parte da nossa cultura e uma coisa é verdade, nunca tivemos tanta exposição internacional como hoje. Os nossos filmes são cada vez mais reconhecidos no estrangeiro…  tivemos recentemente o caso do jovem realizador, João Salaviza, premiado com  a Palma de Ouro, no festival de Cannes, para melhor curta-metragem (Arena). Já para não falar dos rasgados elogios que a, credível,  imprensa francesa fez do nosso cinema actual, classificando como um dos mais originais.

Temos de fazer alguma coisa pela nossa cultura cinematográfica! E os pontos essenciais estão nesta petição.

Todos os ponto desta petição são fundamentais, contudo, existe um de extrema importância: “normalizar a relação da RTP (serviço público de televisão) com o cinema português, fazendo-a respeitar a Lei e o Contrato de Serviço Público, assinado com o Estado Português“. Como é que é possível, em Portugal, não existir cinema nacional nos canais televisivos?

O tema Cinema Português levanta sempre muita discussão. Existem muitas perguntas, muitas pressões, muitas críticas destrutivas, poucos apoios, pouco público… É urgente fazer uma reflexão em prol do Cinema Português.

O primeiro passo é assinar esta petição! Para isso basta aceder a este link e assinar com o seu nome completo.

Antes deste artigo ser publicado, havia 971 signatários. Esperamos que este número aumente nos próximos dias.

Apoie a cultura portuguesa! Apoie o Cinema Português!

Envia os teus videos para a ZON

Nova Rubrica na plataforma do ZON Videoclube

A ZON está sempre à procura de novos conteúdos para proporcionar aos seus clientes grandes momentos de entretenimento.

No âmbito do ZON Videoclube, vamos lançar uma nova rubrica na plataforma do ZON Videoclube.
Composto essencialmente por vídeos caseiros, temáticos e divertidos, a nova categoria estará disponível para os mais de 300 mil clientes que já utilizam este serviço.

Como tal, procuramos os seus vídeos para que possa dar a conhecer os seus trabalhos de curtas-metragens, e ajudar-nos a dinamizar a nossa oferta no ZON Videoclube.
O ZON Videoclube conta com mais de 2.500 títulos disponíveis na plataforma.

Convidamo-lo a enviar alguns vídeos, com uma pequena sinopse e duração dos conteúdos de forma a podermos equacionar o enriquecimento da nossa plataforma com mais e melhores conteúdos.
Mais informamos que os conteúdos serão disponibilizados de forma gratuita aos clientes ZON.

Aguardamos o seu contacto através do e-mail zon.videoclube@zon.pt

Obrigada e Bons Filmes!

Um por todos e todos por um…

A pedido do anfitrião deste blogue, depois de ter manifestado a minha dificuldade existencial, fui convidado a escrever um pequeno artigo sobre o assunto em questão. Portanto, aqui vai:

Primeiro apresento-me. Chamo-me Aurélien Vieira Lino (o “esquisito” do nome deve-se às minhas origens francesas), sou pianista licenciado em Jazz (sim, já existem licenciaturas para esta gente) e, por consequência, músico e professor. Mas, mais importante que tudo isso, gosto de cinema e acima de tudo adoro a música que o acompanha desde o início. Começando pelas improvisações feitas sobre cinema mudo, passando pela mestria de Bernard Hermann nos filmes de Hitchcock e continuando com a música de Michael Giacchino para o último Pixar, toda a música para cinema tem a sua história e riqueza própria que serviu para elevar a qualidade artística de muitos filmes que marcaram o mundo.

Falando agora do nosso “pequeno” mundo. Em Portugal, como alguns leitores deste blogue certamente sabem, também existe cinema! Infelizmente, a marca que tem deixado no resto do globo tem sido muito reduzida, à semelhança da indústria que o alimenta. Aliás, é um bocado exagerado falarmos em “indústria”. Mas, como em qualquer outra área, do pouco que se faz sobressaem algumas pérolas, das quais até se ouve falar fora da nossa “Jangada de Pedra” como é o caso da “Arena” de João Salaviza. Isto tudo para dizer que somos pequenos mas podemos ser bons! Não precisamos de milhões de euros para fazer um filme decente, não precisamos de ir sempre para fora para encontrar os melhores e trabalhar ao nível dos grandes. Precisamos sim de pessoas com talento que se possam encontrar e transformar em boa arte cinematográfica todas as boas ideias que lhes passam pela mente.

Acabando agora com o meu caso: desde sempre quis ser compositor para cinema (minto! comecei por querer compor para jogos de vídeo, entretanto passou-me, mas nunca se sabe…), decidi primeiro estudar e dominar um pouco a arte dos sons. Agora, quero finalmente trabalhar com realizadores para além de investir também na música para publicidade e deparo-me com um deserto de redes de contacto. Falei com escolas de cinema, estive em festivais, mas continua a ser quase impossível arranjar um pequeno endereço de email. Felizmente, blogues como este permitem centralizar alguma informação e dar a conhecer muitas obras “perdidas” pela sua não divulgação e pouca projecção. Pergunto aos realizadores destas mesmas obras: Porque tornam tão difícil contactar-vos? De certeza que sou apenas um entre muitos, mas tenho algo para dizer e trazer a este meio. Infelizmente gasto mais energia a tentar encontrar e a abrir uma porta do que a trabalhar nalgo que adoro,  faço com paixão e, espero eu, mestria.  Num pais tão pequeno e com tanto para crescer a entreajuda é fundamental, e as distancias entre nós não deveriam ser tão grandes, de forma a conseguirmos criar um cinema melhor, mais produtivo e sobretudo com mais público. Realizadores e outros artesãos do cinema, por favor, deixem aqui o vosso contacto!

Obrigado,
Aurélien Vieira Lino

Começo eu:

Aurélien Vieira Lino, compositor: www.deepbluesounds.com