Categoria: Documentários

Próxima Paragem

Próxima Paragem, um filme de Carlos Araújo e Alexandru Levitschi

O curto documentário “Próxima Paragem” foi realizado por dois estudantes na área de cinema, Carlos Araújo e Alexandru Levitschi. Pode visualizar aqui o filme na íntegra.

Sinopse:
O Voluntariado é uma prática comum, que só necessita da vontade de um ser humano em ajudar o próximo. Um pequeno gesto que para uns poderá ser insignificante, como um sorriso, poderá ser para outros um auxilio que cai como um milagre, nesta sociedade capitalista e imoral.
Próxima Paragem é  um Documentário (sem fins Lucrativos) que pretende retratar de que maneira um cidadão comum, que leva uma vida Profissional diária e activa, consegue dedicar parte do seu tempo a uma causa nobre como voluntariado, neste caso especifico, o apoio aos sem abrigo.

Ilha da Cova da Moura

Ilha da Cova da Moura, um filme de Rui Simões

“Ilha da Cova da Moura” – Estreia Nacional no dia 13 de Maio de 2010

Sinopse:
Cova da Moura é sinónimo de problema, de violência, de degradação social. No ano de 2005, dois acontecimentos tornaram este bairro dos arredores de Lisboa num caso de interesse mediático: o homicídio de um polícia que patrulhava as ruas locais, em Março, e o célebre arrastão que nunca existiu, no dia 10 de Junho, cuja autoria foi desde logo imputada a jovens daquele lugar. O bairro da Cova da Moura tornou-se tema de debate público, passando de bairro problemático a lugar de interesse sociológico. Descobriu-se então a verdadeira Cova da Moura, habitada por uma maioria cabo-verdiana, que ali repete os modos e costumes das ilhas de que são oriundos como forma de combater o desenraizamento e estigma social. Vislumbrou-se um bairro em luta contra a violência e o tráfico de droga nele implantados e contra o preconceito sociocultural que os rodeia. Uma ilha de Cabo Verde naufragada em terras portuguesas, a braços com o pesado conceito de exclusão. ILHA DA COVA DA MOURA segue o quotidiano deste bairro, descobrindo nele reflexos de Cabo Verde e procurando os modos como a exclusão social se combate ou perpetua nas vidas dos seus moradores.

Fantasia Lusitana

Fantasia Lusitana, um filme de João Canijo

“Fantasia Lusitana” – Estreia Nacional no dia 29 de Abril de 2010

Sinopse:
Portugal viveu a Segunda Guerra Mundial dentro de um mundo de fantasia. A propaganda criou nos portugueses um nível de irrealidade fantasista em que a realidade violenta e terrível da guerra era uma coisa muito longínqua e de outro mundo. Segundo essa propaganda, que proclamava a ausência da guerra no seu seio, mesmo com o fluxo de refugiados que chegava a Lisboa, Portugal era um paraíso de paz e tranquilidade, um “oásis de paz” totalmente alheio a uma guerra que só dizia respeito aos outros. Construído exclusivamente a partir de imagens de arquivo, o documentário de João Canijo funda-se no contraste entre as imagens fantasistas da propaganda e os testemunhos escritos de refugiados célebres (Erika Mann, Alfred Döblin e Antoine de Saint-Exupéry, lidos pelos actores Hanna Schygulla, Rudiger Vogler e Christian Patey) de passagem por Lisboa, à espera do barco que os livre do nazismo. São textos que reflectem exactamente o pasmo dos autores diante da bizarra noção de realidade dos portugueses.

Fragmentos de um Diário – Traces of a Diary

Fragmentos de um Diário, um filme de Marco Martins e André Príncipe

Antestreia no IndieLisboa 2010 – Dia 25 de Abril às 21:30 na Culturgest

“Fotografia é diário…diário é vida…no fim, a fotografia e a vida acabam sempre juntas e sós.”

Sinopse:
Fragmentos de um Diário – Traces of a Diary” é um filme concebido como uma espécie de diário de viagem, um caderno de notas cinematográfico sobre o trabalho de alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses contemporâneos. Através duma série de encontros com os fotógrafos, os realizadores reflectem sobre a natureza do acto de fazer imagens e contar histórias, sobre o próprio processo diarístico. Ao filmarem com duas câmaras 16mm Krasnogork3, de corda, Marco Martins e André Príncipe valorizam a crueza do espontâneo e do contingente, acima do tratamento estudado. Ao mesmo tempo diário e reflexão sobre o género diarístico, “Fragmentos de um Diário – Traces of a Diary” é um filme elíptico, uma visão pessoal e dinâmica sobre alguns dos mais importantes fotógrafos actuais e a cidade que eles fotografam. Com Daido Moriyama, Nobuyoshi Araki, entre outros.

Ruínas

Ruínas, um filme de Manuel Mozos

“Ruínas” – Estreou no passado dia 1 de Abril de 2010

Sinopse:
O novo documentário de Manuel Mozos retrata os lugares esquecidos, como edifícios e construções, abandonados pelo tempo. Durante uma viagem profunda pelo nosso país, o realizador foi filmando fragmentos de espaços e tempos, restos de épocas e locais onde apenas habitam memórias e fantasmas. Vestígios de coisas sobre as quais o tempo, os elementos, a natureza, e a própria acção humana modificaram e modificam. Lugares desprezados, obsoletos e vazios mas que fazem parte da narrativa de um país e do imaginário colectivo de um povo. Ruínas conquistou o prémio Georges de Beauregard no FIDMarseille e o prémio TOBIS para melhor longa-metragem portuguesa no IndieLisboa 2009.

No Quarto da Vanda

No Quarto da Vanda, um filme de Pedro Costa

Sinopse:
A vida só me tem dado desprezos. Morar em casas-fantasma que outras pessoas deixaram. Estive em casas que nem uma bruxa queria lá morar. Mas também estive em casas que valiam a pena. Todas as casas que ocupei eram casas clandestinas. Foram casas que as pessoas abandonaram mas se estivesse lá uma pessoa de bem… eles até não mandavam abaixo. E olha foi assim casa atrás de casa. Já paguei mais pelas coisas que não fiz que pelas coisas que fiz.

Ne Change Rien

Ne Change Rien, um filme de Pedro Costa

Sinopse:
Os vários registos musicais de Jeanne Balibar captados através da percepção do realizador Pedro Costa. A actriz e cantora foi filmada, a preto e branco, durante três anos de reflexões, ensaios e actuações. O resultado é um documentário intimista e revelador. “Um dos mais belos filmes”, segundo as palavras da actriz, e aquele onde se reconhece “mais do que em qualquer outro”. 

Ruas Da Amargura

Ruas Da Amargura, um filme de Rui Simões

“Ruas da Amargura” – Teve Estreia Nacional no dia 5 de Novembro de 2009

Sinopse:
As Ruas da Amargura são povoadas por homens e mulheres, de todas as idades, com carências afectivas, financeiras, problemas mentais, alcoolismo, toxicodependência, ou simplesmente pessoas que chegaram a Portugal à procura de uma vida um pouco melhor.
Do outro lado das Ruas há um formigueiro de voluntários, assistentes sociais e técnicos diversos que constroem e mantêm estruturas de apoio, uns pensando em dias melhores, outros institucionalizando a ajuda sem acreditar que o fenómeno possa ter cura.

Página 4 de 6123456